top of page

Narciso e o auge do amor próprio!

Por: Erick Henrique, Diretor do Acampamento e Conselheiro do C3


Hey, campistas!

Tudo bem com vocês? Espero que sim!


Vocês já ouviram por aqui que alguém era narcisista? Pois bem, hoje vamos aprender sobre a origem desse termo...


A história de Narciso é uma das mais conhecidas e trágicas da mitologia grega, centrada na figura de um belo jovem que caiu em amor por sua própria imagem refletida na água. A narrativa de Narciso tem várias versões, mas a mais conhecida é contada na obra "As Metamorfoses" do poeta romano Ovídio. Aqui está a história de Narciso:


Narciso era filho do deus Cefiso, o deus dos rios, e da ninfa Liríope. Desde o nascimento, ele foi abençoado com uma beleza extraordinária que atraía a atenção de todos que o viam.


Um dia, enquanto Narciso estava caçando na floresta, uma ninfa chamada Eco viu-o e se apaixonou profundamente por ele. No entanto, Echo não podia falar por conta própria; ela só podia repetir as últimas palavras ditas por outra pessoa. Quando ela tentou se aproximar de Narciso e declarar seu amor, ele a rejeitou de maneira cruel. Em seu sofrimento, Echo se escondeu nas montanhas e se definhava até se tornar apenas uma voz que ecoava.


A maldição de Echo não passou despercebida pelos deuses, e eles decidiram punir Narciso por sua insensibilidade. Como parte da punição, eles fizeram com que ele se apaixonasse por sua própria imagem refletida na água de uma fonte.


Cada vez que Narciso se aproximava da água para beber ou admirar seu próprio reflexo, ele ficava ainda mais obcecado por sua imagem. Ele passava horas a olhar para si mesmo, recusando-se a comer ou beber, consumido pelo amor por sua própria beleza.


A obsessão de Narciso por sua imagem o levou à sua ruína. Ele não conseguia suportar a ideia de estar separado de sua própria imagem, então ele permaneceu à beira da fonte, observando-se até sua morte. Algumas versões da história dizem que ele se inclinou para beijar sua imagem e caiu na água, afogando-se.


Quando Narciso morreu, os deuses decidiram transformá-lo em uma flor, conhecida como a "Narciso" ou "Daffodil" em inglês. A flor tem pétalas brancas e um centro amarelo brilhante, simbolizando a beleza e a auto-obsessão de Narciso.


A história de Narciso é frequentemente interpretada como um aviso sobre os perigos da vaidade e da auto-obsessão, bem como sobre o poder do amor não correspondido. A imagem de Narciso olhando para sua própria reflexão na água tornou-se um símbolo duradouro da autocontemplação e da vaidade excessiva na cultura ocidental.


E aí? Vocês conhecem alguém com o amor próprio mais... "elevado"? Comentem aí embaixo!

Até logo...

94 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page